Projecto "Dar a Ver o Departamento de Comunicação e Arte"


a36167 @ 00:38

Sex, 25/11/11

 

 




a36167 @ 20:51

Sex, 11/11/11

Índice


Introdução
1.1 Problemática
1.2 Pergunta de investigação
1.3 Objectivos
1.4 Tipologia de investigação

1.4.1 Metodologia de investigação

1.4.2 Modelo de análise

 Enquadramento Teórico
2.1 Video Institucional
            2.1.1 O video nas instituições de ensino
2.1.1.1 O video face aos outros media.
2.1.2 Video online

2.1.3 Video como meio informativo

2.1.4 Público-alvo
2.3 Estado da arte

2.4  Produção e realização audiovisual para divulgação de eventos

2.5 Considerações sobre o caso específico do DeCA.

Estudo da relevância da divulgação dos eventos/actividades do DeCA

3.1 Caracterização do participantes

3.2 Técnica de recolha de dados

3.3 Análise dos dados
Conclusões
4.1 Confronto hipóteses/objectivos
4.2 Críticas
4.3 Propostas de futuro
Bibliografia

 




a36167 @ 20:45

Qui, 03/11/11

 

 




a36167 @ 20:31

Qui, 03/11/11

A metodologia mais adequada para o meu projecto de investigação é “Estudo de Caso”, pois o estudo será focado na comunidade do DeCA e procura compreender a influência do vídeo no seu nível de conhecimento dos eventos e actividades do departamento.

Serão feitos inquéritos e/entrevistas para perceber a percepção da comunidade acerca deste tópico. Posteriormente serão avaliados os resultados e possíveis alterações, após a implementação do sistema de divulgação.




a36167 @ 13:52

Sex, 14/10/11

 Carmo, Hermano Duarte de Almeida e, 1950- - Metodologia da investigação : guia para auto-aprendizagem. Lisboa : Universidade Aberta, 1998. 353 p. ISBN 972-674-231-5.

Flick, Uwe, 1956- - Métodos qualitativos na investigação científica ; trad. Artur M. Parreira. Lisboa : Monitor, 2005. IX, 305 p. ISBN 972-9413-67-3. 




a36167 @ 13:49

Sex, 14/10/11

Conversação entre:

- um investigador [que pretende obter informação sobre um determinado assunto]


- e um informador [alguém que terá informação de interesse no contexto do estudo].

Envolve interacção directa entre entrevistador e entrevistado.
Pretende-se que o entrevistado partilhe voluntariamente a informação de que dispõe.

 

De acordo com a forma de operacionalização, as entrevistas podem ser classificadas em:

1. Entrevistas estruturadas

Questões previamente formuladas num guião de entrevista.

Não há lugar...


- a alterações dos tópicos a questionar.

- a alterações da ordem das questões.

- a inclusão de outras questões.

Quando se utilizam?

Quando se pretende obter dos entrevistados respostas às mesmas perguntas, permitindo que estas sejam comparadas.

As diferenças, a existirem, devem situar-se nas respostas e não nas perguntas formuladas.

 
2. Entrevistas não estruturadas
 

O investigador procura, através da conversação e sem auxílio de nenhum guião, conseguir dados relevantes de um problema de investigação, que possam ser utilizados para análise qualitativa.

 
Modalidades da entrevista não estruturada
 

2.1 Entrevista focalizada

- Usa uma listagem de tópicos relativos ao problema a estudar.
- O entrevistador pode incluir questões que considere oportunas.
- Exige experiência e perspicácia de entrevistador.
 

2.2 Entrevista clínica

Apropriada para o estudo de motivações, sentimentos e conduta das pessoas.

- Liberdade quase total dada ao entrevistado na sua resposta.
- Partilhada grande quantidade de informação.
- Informação detalhada.
- Duração longa.

- Questões quase sempre abertas focadas na vivência pessoal do entrevistado.

 
 
2. Entrevistas não estruturadas

O investigador procura, através da conversação e sem auxílio de nenhum guião, conseguir dados relevantes de um problema de investigação, que possam ser utilizados para análise qualitativa.

 
Modalidades da entrevista não estruturada

2.3 Entrevista não dirigida

- Entrevistador sugere o tema e deixa o entrevistado falar livremente, sem o forçar e condicionar a responder.

- Existe total liberdade do entrevistado para expressar as suas opiniões e sentimentos.

 
Registo dos dados

Observação: registar as acções e interacções.

Entrevistas: registar e transcrever o que foi dito.

 

Em ambos os casos...

Incluir o enriquecimento contextual das declarações ou actividades

 
Como se faz?
- Gravação sonora e/ou visual
- Notas de campo
- Diários de investigação
- Fichas de registo

Estes processos transformam os relatos estudados em textos, que são a base para análise concreta.

 
Passos do processo de registo de dados:
1. Registo de dados.
2. Transcrição.

3. Construção de uma “nova” realidade, no texto e pelo texto produzido.

 
1.1 Gravação sonora e visual de situações naturais

O recurso a dispositivos de gravação torna o registo dos dados independente das perspectivas do investigador ou dos sujeitos em estudo.

Necessidade de informar os participantes do objectivo da gravação e solicitar a sua autorização.

Espera-se que os entrevistados esqueçam o dispositivo de gravação e que a conversa decorra de forma “natural”.

 
Presença e influência da gravação

- A gravação deve limitar-se à colecta dos dados necessários para a questão de investigação e para o quadro teórico.

- Quando a gravação vídeo não regista dados essenciais, para além dos obtidos com a gravação áudio, deve preferir-se o dispositivo menos intrusivo.

- Levanta questões éticas da investigação e pode conduzir a mudanças nas situações estudadas.

 

Recomendações para a execução da entrevista

 
Planeamento:
- Ter em mente o objectivo que se pretende alcançar.
 
Conhecimento prévio do entrevistado:
- Conhecer previamente o seu grau de familiaridade com o assunto.
 
Oportunidade da entrevista:
- Marcar antecipadamente hora e local tranquilo.
 
Condições favoráveis:

- Garantir a confidencialidade da identidade do entrevistado e de alguma informação/opinião que exija reserva.

 
Preparação:

-       Organizar guião ou formulário com as questões a colocar.




a36167 @ 13:47

Sex, 14/10/11

 A comunicação organizacional como fator determinante para a construção da imagem institucional.

 Autor(es): Camila Krohling Colnago
Data: 2006
Origem: OASIS br

Assunto(s): ADMINISTRACAO; Organizational communication, corporate identity, institutional image.; identidade corporativa; Imagem da empresa; imagem institucional; Comunicação organizacional; Comunicacao nas organizacoes.

 
Estéticas do digital: Cinema e Tecnologia
por Manuela Penafria, Índia Mara Martins (Org.)

Colecção: Estudos em Comunicação
Ano de edição: 2007
ISBN: 978-972-8790-84-4.

 
 Metodologias de análise de retorno do investimento em comunicação institucional.
Autor(es): Ubaldo Antônio Crepaldi
Data: 2008
Origem: OASIS br

Assunto(s): Retorno; Marketing; Imagem Corporativa; Corporate Image; Comunicação Institucional; Marketing; ROI; Corporate Communication; Investimento.

 

Acontecimento e Tempo. Sobre o trabalho da percepção em práticas do cinema e da instalação.

Autor(es): Sérgio Luís Ferreira Simão Taborda Taborda
Data: 2008
Origem: Universidade Nova de Lisboa

Assunto(s): Imagem, Tempo; Evento; Percepção; Atenção; Memoria; Escultura.




a36167 @ 13:33

Sex, 14/10/11

Endomarketing, vídeo institucional, eventos, comunicação interna, comunicação institucional, rede interna televisão.




a36167 @ 13:29

Sex, 14/10/11

1. Perceber se a comunidade da UA tem conhecimento dos eventos que acontecem no DeCA (através de um estudo constituído por entrevistas aos responsáveis, questionários ao público-alvo e avaliação de resultados);

 

·      2. Compreender as expectativas da comunidade UA sobre os meios de comunicação de eventos do DeCA.

 

·      3. Definir os recursos necessários (custos, equipamentos, pessoas, etc.);

 

·      4. Após o estudo, desenvolver a imagem e o tipo de história que queremos transmitir, consoante os meios de comunicação escolhidos.